quarta-feira, 20 de junho de 2012

Ilustração x Ilusão

A melhor forma de convencer alguém de qualquer coisa é dar provas concretas; ou pelo menos fazer tal pessoa acreditar que sua prova é concreta. Melhor! Faze-la nem sequer desejar saber a verdade sobre a tal prova.


Continuando a explanar minhas idéias sobre a experiência que tive como Testemunha de Jeová, hoje resolvi recordar as famosas ilustrações!
As ilustrações sempre estiveram presentes em todos os tipos de ensino ao redor do mundo, e não tenho nada contra elas; o problema está no uso dessas ilustrações para induzir o individuo à um erro ou à um raciocínio sem fundamento.
Lembro-me de uma das minhas primeiras conversas com meu instrutor. Conversávamos sobre a questão do pecado de Adão:

- Imagine que você tenha juntado todo o dinheiro da sua vida para comprar à sua Ferrari!

- Sim

- Imagine que um belo dia, você empreste seu carro para um amigo. Esse amigo, descuidado, bate com sua Ferrari. Ao vir devolver o carro, você percebe o estado do carro e reclama. Seu amigo diz: “Fique tranqüilo que vou dar-te outro carro.!” Algum tempo depois ele lhe traz um belo fusca! Você aceitaria
?

-
Não mesmo!

- Então! Assim é o sacrifício de Jesus! Adão era perfeito e jogou fora a vida eterna, o favor de Deus para com a humanidade. Somente o sacrifício de outro humano perfeito (Jesus) para equilibrar a balança! (Essa ilustração é muito conhecida das TJs


Nesse dia passei a entender(aceitar) essa questão do pecado adâmico mais facilmente! Hoje observo que as coisas não são “bem assim”


Hoje volto a questionar a questão do pecado hereditário. O erro do primeiro executa um julgamento injusto sobre todos os outros. Vão dizer “Ah, mas Jesus veio pela salvação de todos. Dos que já existiram aos que vão existir ainda”
Ok, mas e os que nunca ouviram falar de Jeová ou Jesus
? Dirão: “Eles ressucitarão para ter uma nova chance!!”
Mais uma vez pergunto se isso justifica uma vida de sofrimento, escravidão, fome, doenças, guerras etc!?

Claro que não; mas a ilustração serve para isso! Tira nosso foco de outras questões!





(Fixe o olhar no ponto central para ver a borda do círculo desaparecer; assim como as ilustrações das Testemunhas de Jeová nos fazem perder o foco do contexto real)




Outro fator crucial com relação às ilustrações é a indução à uma solução que só faz sentido no contexto daquela ilustração, fazendo com que o individuo tome decisões “no mundo real” baseado em considerações feitas “no mundo da fantasia”

Um exemplo incrível é a ilustração contida no livro Bíblia Ensina que trata da história de um professor que ao receber o desafio de um aluno, permite que tal aluno “conduza a aula” à seu próprio modo para que ao cometer seus próprios erros se prove errado.
Faz realmente muito sentido. Todos os que assistirem o fracasso do questionador terão certeza de que o professor era quem estava correto. Sim, essa seria uma grande demonstração de amor e sabedoria!
Um amigo levantou a seguinte questão: “E se o professor fosse um professor de química?! Permitiria que o aluno rebelde fizesse experimentos à vontade com produtos explosivos, corrosivos, venenosos e etc; colocando em risco a saúde e a integridade física dos outros alunos na sala de aula?!
Pois é exatamente isso o que as Testemunhas de Jeová tem pregado! Dizem que a culpa de todo sofrimento é pelo fato de Deus estar dando a oportunidade de Satanás fazer o que bem entender colocando em risco a vida de bilhões de pessoas, com a desculpa de que em um determinado ponto no futuro, ele poderá ressuscitar todo mundo, curar todo mundo, salvar todo mundo do mal que foi causado por seu “mau aluno”.

Então amigos, para que essa ilustração faça o mínimo de sentido, seria necessário que começasse da seguinte forma:

”Um professor com super poderes paranormais...”

Não é?!

É o tipo de situação que só tem coerência dentro do universo criado pelas próprias TJs, e a qual elas são obrigadas aplicar na vida real!!!









Para finalizar essa bizarrice, andei reconsiderando...

”Abster-se de sangue”. Essa questão SEMPRE vem seguida da seguinte ilustração.

”Se um médico mandasse você se abster de álcool, seria correto injeta-lo na veia?! Da mesma forma ocorre com o sangue!”

Continua fazendo sentido fora do contexto!

Mas vejamos; se seguirmos ao pé da letra a ilustração apresentada; somos criatura condenadas, pois o sangue está dentro de nós, se polui o tempo todo através de nossas funções básicas e se despolui através outra função básica do nosso próprio corpo.
Somos impuros antes do sangue passar pelos rins?!
Deveríamos nós substituir nosso sangue do nosso próprio corpo? Comparar o sangue a elementos externos tóxicos como álcool, tabaco, LSD e outras coisas é de uma lógica bizarra e desconexa que só faz sentido na cabeça de quem não tem mais a capacidade nata de raciocínio!

Triste mas verdade (ou mentira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário